quarta-feira, 28 de março de 2012

Filhos

Filhos...
Mais do que nunca uma tarefa delicada e muito árdua a de ser mãe, a de ser pai.
De um lado enxergamos todo tipo de violência: verbal, física e até mesmo de valores. Sim. Valores. Porque conto as famílias que conheço que realmente prestam atenção nisso.
Do outro lado, enxergamos a necessidade de prepara-los a serem humanos que sejam dignos, verdadeiros e praticantes do bem, justamente para lutar contra toda essa voluptuosa violência cotidiana.
Mas qual é a dose certa nesse preparo?
Não vou mentir. Hoje em dia me preocupo mais com certos pais do que com as crianças que convivem comigo.
Certos que seus filhos são únicos e poderosos, excluem toda a culpabilidade(inocente), comum aos que aprendem e estão subindo devagar os degraus da infância.
Dessa forma, decidem "bater o martelo" contra as companhias que julgam erradas aos seus filhos, ensinando-os então a iniciarem o mesmo ciclo de violência.
Iludidos, esquecem que os telhados que nos abrigam são de cristal até porque quando se educa, corre-se o risco de assistir os erros. Não há aprendizado sem erro...não é?
As crianças estão diferentes? Não...alguns pais é que andam perdendo o rumo...

D.Frick

Nenhum comentário: