quarta-feira, 19 de dezembro de 2012


Ansiedade, já basta a minha...
Aprendendo a ser prudente e não acreditar mais em "eu te amo" passageiro, risos sem verdade, ansiedades que queimam a palha rápido...
Aprendendo a não devolver provocações, mesquinharias, a sentir pena daquele que se alimenta disso...
O tempo vai passando e percebemos que a calma pode tomar o lugar do brusco, o sorriso ameno pode manter a paz da sua rotina, e as emoções fortes podem ser reservadas para os momentos inexoráveis...
Não é fácil...mas a lição vem a cada dia...e eu vou tentar SEMPRE.

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Na vida, paramos para pensar em certos momentos e concluímos que muitas vezes os relacionamentos que temos, expressam exatamente como eles foram construídos.
Muitas vezes são fortes linhas traçadas com nós de intimidade e confiança que são pra vida toda, outras muitas vezes, alguns tecidos com fios leves, frágeis que arrebentam ao menor toque.
Ninguém está proibido de tentar fortalecer esses fios,de tentar mudar. Toda tentativa é válida.


O único problema, é querer pular todos os buracos causados pelos diversos rompimentos dos fios ao longo da vida, sem querer restaura-los para cobri-la com um manto bem traçado e resistente à qualquer tempestade. Há abismos que nós mesmos criamos ou que criam pra gente. Não dá pra simplesmente esquecer e ignorar o grande espaço que nos separa...Há um processo necessário e ele tem que ser respeitado...só isso...

quarta-feira, 28 de março de 2012

Filhos

Filhos...
Mais do que nunca uma tarefa delicada e muito árdua a de ser mãe, a de ser pai.
De um lado enxergamos todo tipo de violência: verbal, física e até mesmo de valores. Sim. Valores. Porque conto as famílias que conheço que realmente prestam atenção nisso.
Do outro lado, enxergamos a necessidade de prepara-los a serem humanos que sejam dignos, verdadeiros e praticantes do bem, justamente para lutar contra toda essa voluptuosa violência cotidiana.
Mas qual é a dose certa nesse preparo?
Não vou mentir. Hoje em dia me preocupo mais com certos pais do que com as crianças que convivem comigo.
Certos que seus filhos são únicos e poderosos, excluem toda a culpabilidade(inocente), comum aos que aprendem e estão subindo devagar os degraus da infância.
Dessa forma, decidem "bater o martelo" contra as companhias que julgam erradas aos seus filhos, ensinando-os então a iniciarem o mesmo ciclo de violência.
Iludidos, esquecem que os telhados que nos abrigam são de cristal até porque quando se educa, corre-se o risco de assistir os erros. Não há aprendizado sem erro...não é?
As crianças estão diferentes? Não...alguns pais é que andam perdendo o rumo...

D.Frick

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Amadurecer é divino.
Amadurecer as ideias é tarefa diária.
Não podemos deixar de faze-lo.
E uma ideia que amadureci e reformulei,  é representada pela velha frase: "não ligo para o que pensam  ou falam de mim".
Há questões nessa frase que devo preocupar-me.
Pensar, formar opinião, é um direito de todos.
As pessoas podem gostar ou não de mim, podem criticar ou não minhas atitudes e podem até sentir o direito de achar que sou isso ou aquilo.
Mas o que nivela e equilibra o direito de pensar e formar opinião alheia, é o que você faz com essa opinião.
É o pré- conceito que criamos quando não damo-nos o direito de conhecer a pessoa.
E vou te contar, na minha vida, há mestres em difamar, "queimar o filme" mesmo, criando nas pessoas uma ideia do que não sou, do que não vivo.
Mas Deus é muito bom. Ele sempre me dá a chance de mostrar a minha verdade, a minha essência.
E quando isso acontece...ah! É divino!
Bjos
D.Frick

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Aceito!

Sim! Aceito o gelado das águas,
Aceito o calor desse sol,
Aceito a brisa que bagunça meus cabelos.
Aceito cada gota de suor,
Aceito cada oferta que a natureza quiser me dar!
D.Frick

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Sobre quem nos vigia

Vou te contar...
Se pararmos para analisar quem vigia nossa vida, estaremos fadados a redigir uma lista gigantesca...
Não sei se vocês sofrem do mesmo mal, tão menos quero ser pretensiosa ao achar que o mundo gira em torno do meu umbigo nessa barriga gordinha que eu tenho.
Mas a verdade é que as vezes eu sinto que estou devendo a uma espécie de "imposto de renda da vida".
Qual é o imposto a pagar ou receber da minha semana, do meu dia, do meu trabalho, do meu casamento, por aí vai...
Sigo refém de aspirantes da vida alheia, desprovidos de vida própria, verdadeiros parasitas humanos.
Só então lembro que não devo nada para o "leão" da vida.
Só eu sei cada minuto e cada passo da minha labuta  e também do meu prazer de viver.
Já sofri mais com essa vigilância constante.
Não mais, porque passei exercitar a verdade absoluta que a única vigilância que me importa é a do Nosso Senhor lá em cima, que tudo conhece, tudo sabe e tudo faz por nós.
bjos pra vocês,
D.Frick

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Sobre ser culto e inteligente

Afinal, o que define nossa inteligência?
Assim como a loucura é tudo muito relativo.
Começo a achar que inteligente mesmo é quem busca o ser e, achando o seu "eu" , assume e coloca em prática: suas superações, suas realizações e principalmente; sua gratidão por tudo de Sagrado que o nosso Deus nos dá.
Só posso agradecer para então pedir e buscar algo...
Já a cultura? Começo a ter certeza que  antes dela, o mundo começa a gritar por educacão! Só então  a diversidade cultural  e social será respeitada.
D.Frick

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Por onde anda a Felicidade

Se o dia me obrigar a tentar mais de uma vez, eu farei. Mais de uma, duas, três.
Se o meu sorriso fugir, eu o procuro novamente.

Se as lágrimas caírem, eu as aceito no tempo certo.

Se tudo der errado, é porque eu ainda não captei a mensagem que a vida quer me passar e com isso, ainda não tomei as atitudes certas...

A felicidade está no conforto. No sentir-se confortável consigo no presente, acreditar que pode mudar  e só assim ter forças para alcançar os sonhos no futuro...

Alerta máximo: essa tarefa é mais dificil do que se imagina...mas necessária.

D.Frick

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

"Borboletar"

Após um profundo, lento e duradouro período de metamorfose, atingi meu "terceiro ciclo como borboleta"...
Troquei minha pele e criei minha própria crisálida.
Inicialmente uma casca dura, cinza e provavelmente isenta de possibilidades.
Depois, foi tomando cor.
Um rosa claro ali, um azul aqui...
Tudo muito calmo, timidamente se preparando para novos voos...
2012 está aí...esperando a estreia do meu novo par de asas!
Bjos,
D.Frick