terça-feira, 15 de novembro de 2011

Novidades...

Calada, observando, sentindo...
Desconhecendo certos sentimentos, estupefata com algumas observações e gostando do silêncio ao buscar o equilíbrio...

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Dúvida

Querida Malévola,

Se eu tocar o fuso e dormir profundamente, você promete que, ao acordar com o beijo de amor, estarei renovada e com mais força para aguentar gente que nunca sentiu isso??????????

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Da descoberta das palavras

Finalmente ela descobriu as palavras!
Descobriu o "a" e descobriu o "ba",
Descobriu "café" e "pato" e tantas outras palavras que falamos sem pensar...
Ah...o despertar para as palavras...
As vezes encontro-me a admirar a beleza, o cuidado e alegria de descobri-las...
Então penso que deveríamos ter o mesmo procedimento ao usar essas mesmas palavras na nossa fase adulta...
Por que não aprendemos com as crianças?
D.Frick

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Pequena e Inocente insensatez infantil...

Quando eu era criança, mascava chiclete e tinha pena do chiclete ali, mascado, sem gosto, pronto pra ser jogado no lixo ou em qualquer outro lugar. Então,acreditava que aquela "coisa"  merecia um pedido de desculpas;
Quando eu era criança, tinha vergonha do buraco da tomada. Achava que o vizinho poderia estar com uma super câmera observando meus atos...
Quando eu era criança, sonhava em comer pasta de dente quando quisesse, pedaços de manteiga atrás da cortina e até mesmo com a raspa do macarrão na panela só pra mim.
Quando eu era criança, ensinava tudo para minhas bonecas, acreditava em príncipe encantado, em suspiros de amor, nas fadas, duendes e também no super poder da minha mãe em saber de tudo!
Quando eu era criança, achava que a matemática era um castigo e que aulas de história serviam para viajar no tempo...
Quando eu era criança, ouvia Julio Iglesias com meus avós no carro e tudo era rosa ao som de "Manuela"...
Ah! quando eu era criança...
Que delícia era saber que minha única preocupação, era esconder a pequena e inocente  insensatez infantil...

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Hoje encontrarei Alice.
Escorregaremos juntas pela toca do Coelho...

quinta-feira, 31 de março de 2011

Ah se eu soubesse...

Quem vive de passado é museu, já dizia o ditado popular.
Mas, a verdade é que, quando olhamos para trás, identificamos com a maturidade, tudo aquilo que
incomodou, machucou, alegrou, deixou marcas nas linhas da vida.
Então,  percebemos o número quase que exato, das  vezes que  permitimos  que a felicidade e tristeza façam parte da nossa história,  junto com pessoas, lugares, fatos, escolhas...
Ah! Se eu soubesse!
Não adianta lamentar. Não adianta achar que lamúrias vão acertar o caminho daqui por diante. O tempo não para! Já dizia a música!
O tempo também não volta e o que nos resta é escrever  a história agora.
Prefiro então, fazer uma doce analogia das pessoas em minha vida, com os livros...
Todos são livros em um catálogo.
E nesse catálogo, há a triagem onde os bons merecem sempre  nova tiragem e os que não valem a pena, bem...os que não valerem a pena, ficarão com a poeira em prateleiras dos sebos da vida...
Eu não sabia de tanta coisa...
Agora, eu sei!
D.Frick

domingo, 27 de março de 2011

Proteção...

Desejo hoje, fechar os olhos, respirar fundo e fingir ser meu travesseiro,
o colo de Maria...
Assim será. Amém.
D.Frick

sexta-feira, 18 de março de 2011

Dos poemas

Há tantos poemas que amo...
Tantos falam do amor...
Falam da proximidade necessária, do olhar direto,
do tato, do gosto e outros ingredientes para que ele, o amor, exista de fato.
Ainda os amo. Sim! Os poemas...
Mas discordo da generalidade das regras, onde o amor tem receitas prontas.
Não há receita, não há ordem, não há razão.
Quando se ama, o mundo pode girar, pode virar e o pulsar do seu coração,
estará ali.
Fique tranquilo...
Bjos,
D.Frick

quarta-feira, 16 de março de 2011

Gritei o seu grito,
comi o seu pão,
falei tua fala,
sonhei os teus sonhos...
Agora, eu que vivi você,
clamo  por exorcismo dessa vida alienígina dentro de mim.
Porque preciso ter a autonomia dos meus sonhos,
o gosto do meu pão,
o grito que sai com a minha emoção.
Então só assim, amadureço essa mulher que vive aqui, dentro de mim
e torno-me apta a ser a mulher que ama-te, enfim...

domingo, 13 de março de 2011

Oração

Deus,
Segure minha mão e não solte, por favor.
Acalme o coração quando acelera sem parar...
Preserve a coragem de viver, de sentir e superar.
Amém.

quarta-feira, 2 de março de 2011

Mexendo no baú...

SEGUNDA-FEIRA, 23 DE JUNHO DE 2008
Resposta a Alberto Caeiro

Resposta a Alberto Caeiro
 Eu quero o olhar nítido como o girassol e não enxergar os fatos e pessoas com lentes de aumento. 
Eu quero sentir a realidade delas e saber viver todas as diferenças e dificuldades.
 Andar pelas estradas da vida com olhar de novidade mas tb com a resiliência para aquilo que já não é tão novo... Encher o coração de humildade e esvaziar minha "mochila" de rancor e mágoa. 
Bagagem por vezes inventada, por vezes atribuída. 
Quero não pensar e filosofar, apenas sentir. 
Quero os sentidos, quero a compreensão. 
Quero que o amor exista em mim porque sinto e não porque penso em amar. 
Salve o Girassol...quero buscar a luz...
D.Frick em Fitas de Cetim

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

A música já diz o desejo em melodia,
Eu quero paz, alegria,
Aquela que me dá toda vez que te vejo,
que recebo beijos intermináveis,
e os olhos mudam de cor.
e meu sentir por você,
é só amor...é só amor...
Para meu Neco.
D.Frick

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Posso?

Há o silêncio, que tudo diz...
Há o medo;
Os dias que renovam meus passos e, ao mesmo tempo,
mobilizam-os.
Questionamentos que surgem e interrogam meus sonhos
sobre sua legitimidade em existir...
Posso ser?
Posso desejar?
Posso sonhar?
Posso ser feliz?
Posso ter uma luz?
Posso?
D.Frick

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Laço

Se por acaso,
eu cair no laço...
Se por acaso,
eu entrar no desespero,
pernas e mãos atadas...
Se por acaso, eu perder o chão,
o mundo, o fôlego,
ainda que por minutos...
Tão apertado que é esse laço...
Desfaz como nuvem...
com o seu abraço...
D. Frick

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Dia do Leitor!

Feliz 2011!
O ano começou bem...com livros, sol, a paz que só o lugar que estou pode me dar...
Só posso dizer que, se não fosse a leitura...
...nenhuma poesia existiria em minha vida...tão menos a fantasia...
Que em 2011 aumente  mais e mais a minha fome de ler!
E a sua também!!!
bjos,
D.Frick