sábado, 27 de março de 2010

DIGO NÃO PARA A VIOLÊNCIA. TODO O TIPO DE VIOLÊNCIA!

Começo a grifar uma característica horrível:
a omissão. Ser omisso.
Vendo tantos casos, e, vendo também tantas opiniões, percebo que certas comoções são presentes e necessárias.
É preciso abrir os olhos de muita gente hoje em dia sobre os valores que fugiram! Saíram correndo...
Digo,  VA-LO-RES.
Não digo compromisso, obrigação ou o "cumprir com o que a sociedade acha correto há anos".
Você viu seu filho mentir, brigar, ser violento, desonesto e não fez nada?
Você compactua!
Você assiste alguém (sem fazer nada) ensinando que o que importa é lutar por si sem lembrar dos outros?
Você assiste preconceito com  outras raças, conceitos,  culturas?
Você compactua!
Você vê sua mulher, seu marido, seu filho ou até mesmo sua mãe agredindo, armando, perseguindo, matando e fica do lado deles?
Você é tão errado quanto. SIM.
Não é porque é seu sangue ou seu amigo que merece uma boa cobertura, que merece ser "inimputável".
Lembrar que o agredido também é filho, também é filha, também é mãe, marido, esposa, é alguém para outro alguém e até pra si mesmo...
Não há como não horrorizar-se com casos de violência. De todos os tipos.
Mas se no mundo as pessoas fizessem sua parte evitando pequenos detalhes do dia a dia que também agridem, ofendem, magoam, trazem infelicidade, consequências como estas não aconteceriam.
Não! Não ache que a janela do vizinho é que pode ser quebrada. A sua também.
Educação, limites e valores nunca fizeram mal à ninguém.
O mundo está como está porque ninguém respeita o "viver" do outro.
Falo isso pessoalmente. Porque sou agredida há anos de todas as formas manipuladoras possíveis e luto para conseguir ser feliz. Para conseguir ter paz. Para conseguir ter um domingo com minha família sem sentir o coração pequeno, triste pela inveja e perseguição alheia.
Falo isso porque não é a toa que preciso de oração, dos remédios, da meditação, dos amigos, dos livros, da terapia, desse blog! Para tentar ter paz, tentar ser  feliz...
Falo isso porque mesmo assim, todos me julgam e viram a cara, evitam o contato, evitam até mesmo os encontros, porque acreditam nos agressores.
Isso também não é violência?
Sou agredida há anos só porque eu tenho algo que incomoda, ou porque eu amo, ou porque eu sou feliz com pouco, ou porque eu sou mãe de uma linda! Ou porque minha família é tudo pra mim e me dá tudo (emocionalmente), porque satisfaço-me com o que Deus me deu, porque não invejo o outro, porque não almejo o que é do outro, porque não me preocupo com a vida do outro...
Sou  agredida  de todas as formas (e só eu sei o que fazem) porque DISSE NÃO à MANIPULAÇÃO de gente infeliz, recalcada, frustrada.
Sou agredida há anos porque sempre fui educada, sempre fui gentil, doce, simpática, porque não me importei de estar em lugares que nunca estive, de conviver com pessoas diferentes, porque doei o meu ser integralmente com defeitos, com imaturidades, com qualidades, com tudo...
Sou agredida porque nunca tive coragem de responder como deveria à tantos comentários absurdos...
Lembro de uma vez que alguém, de graça disse pra mim, sentada da minha cama, na cama onde durmo, que não via porquê do meu desejo de decorar minha casa, ou fazer obras,  afinal, meu casamento era falido mesmo...
Tem noção? Quem disse? O que ela sabia a respeito?
Na ocasião, eu estava oferecendo um lanche em minha casa pra essa pessoa infeliz...Dá pra acreditar?
Sou agredida quando vejo minha filha questionar porque não deixam a gente em paz.
Sou agredida porque não fui metida, besta, superior, porque até me rebaixei tantas vezes(sem a menor justificativa)
Sou agredida...
E é por isso que eu dei um BASTA!
Agora falo o que tenho que falar pra impedir essa palhaçada de achar que tudo na vida é assim:
"devo-te nada, deves tudo à mim" ou "posso tudo, você não pode nada".
Não sou perfeita e  quero aprender com todas as agressões, de todos os tipos.
Porque amigos,  ser cerceado de sua própria felicidade é muito duro...
Pode crer...
bjoss,
D. Frick

sexta-feira, 26 de março de 2010

Se a montanha não vai à Maomé...

Lendo um blog interessantíssimo hoje, li algo realmente verdadeiro.
O velho ditado nada comodista de Maomé (graças a Deus!), nos revela uma necessidade atual.
As pessoas estão ficando cada vez mais individualistas.
Elas pensam que todos, a sociedade, o universo ou o que você quiser chamar, devem cair aos seus pés e fazer exatamente o que elas querem.
Normal.  Afinal de contas, quem não gosta de ser mimado?
Só que mimos são bons,  quando feitos de coração.
Não se exige mimo, conquista-se.
A não ser que numa atitude autoritária e egoísta, você considere que o outro deva esquecer quem ele é, o que ele deseja de fato e simplesmente faça o que você almeja.
Se você ama, não obrigue o outro a te ligar. Ligue você também!
Se você ama, não impeça o outro de dividir, doe-se também!
Se você ama, não queira ver o outro infeliz só pra fazer o que você realmente quer. Olhe pra dentro do outro!
Se você ama, não faça chantagem emocional! Emocione-se com outros propósitos.
Se você ama, não minta só pra ter a razão.
Se você ama o outro, a vida, você mesmo, permita-se!
Busque seus próprios prazeres, suas próprias realizações, satisfações, ideais...
Nós humanos, nem sempre enxergamos isso tudo com tanta clareza.
Mas, com um pouco de atenção, de amor por nós mesmos, conseguimos encontrar outras opções, adversárias ao amor oportunista, à chantagem que só dói e não traz nada de bom.
Seja feliz. Seja do bem.
Tenha "cheiro de felicidade" e vá até a montanha! Por que não?
A vista de lá de cima pode surpreender o seu dia...Já parou pra pensar nisso?
Beijoss,
Dona Frick
Bom final de semana!!!!!!!!!!!!!!!

segunda-feira, 22 de março de 2010

Um brinde!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Um brinde à sua maldade,
a todo o seu lado feio,
invejoso, doente...
Um brinde verdadeiro, porque, ao assistir esse "filme de horror" que é você,
A gente respira aliviado por não ser igual,
por não sentir a inveja machucar o peito,
por não tentar destruir a vida de ninguém,
por saber enxergar nossos erros e não acreditar em "verdades" tão falsas...
A gente grita de alegria! Porque nossa vida não é tão "minúscula" assim como você é.
Um brinde ao amor.
Um brinde ao amor que existe na minha vida.
Porque o amor venceu mais uma vez.
Ele simplesmente dissipa no ar toda a influência maléfica que você significa pro mundo...
Que Deus te ilumine.
A Luz precisa chegar até aí darling...
D. Frick

quinta-feira, 4 de março de 2010

Motim

A cama fugiu de mim hoje à noite.


Os talheres pularam da gaveta.

Os pratos? Dançaram hip hop sem a menor cerimônia...

Os quadros andarilhos, passearam pelo teto.

As imagens faziam caretas pra mim.

Liguei o computador, senti as teclas teimosas,

Escrevendo coisas sem sentido e totalmente adversas.

Os livros perderam suas frases, suas palavras...

As letras passearam por entre os meus cabelos...

O sabão escapou-me por entre os dedos!

O que fazer! Um motim!

Salve-me quem puder! Salve minha fé!

segunda-feira, 1 de março de 2010

Coxia...

Demorei um pouco para entender o que realmente é a realidade.


Pensar que eu pudesse ser a totalidade de erros sucessivos e estúpidos,

fez com que eu sentisse uma profunda tristeza e me culpasse diariamente.

Ainda não descobri o que realmente é verdadeiro.

Tão menos descobri,  o que deve ser feito diante dos problemas.

Mas, percebi que, o inverso das coisas por vezes abrem “clareiras” nos pensamentos perdidos...

Talvez eu não seja de todo a errada.

Talvez eu não esteja perdendo com a ausência.

Talvez eu esteja ganhando com a distância. (essa parte me faz querer gritar que sim!)

Talvez o meu silêncio não seja ofensa e sim descanso da mente.

Quero o "talvez", quero o silêncio.

Quero o direito de “sair de cena” e observar tudo lá da “coxia”...