sexta-feira, 25 de setembro de 2009

A vida é frágil.
Tão delicada.
Viver é intenso.
Mas tem suas máscaras.
Sensibilidade é tão necessária...
Sentir as pessoas, os fatos, os laços de carinho com cada um.
Corremos por aí feito loucos, a corrida ambiciosa nos deixa tontos,
Sem permitir que percebamos os gritos de ajuda daqueles que amamos, que admiramos...
Com isso o tempo passa e limitamos nossos diálogos aos "ois" e " vamos combinar?" e tudo fica tão superficial, tão vazio...
É preciso viver de verdade. É preciso viver a vida.
Pois como diz a música: " o que se leva da vida, é a vida que se leva..." não é?
Estou muito chocada com sua partida Patrick. Estou triste.
Que desperdício. Que triste saber que sua alegria foi roubada...
Descanse em paz.

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Acordar

Acordar:
rasgar a camisola velha,

dar chance a velhas ideias presas na garganta.

Levantar:

colocar os pés no chão,

sonhar sem que isso seja em vão,

sem que os sonhos levem-me pra longe.

Sentir:

o sentimento alheio, o amor sem receio,

de ser amada, de ser querida.

Acreditar:

em quem você é.

em quem você pode ser.

em tudo que você possa querer nessa vida.

Perdoar:

superar o rancor,

jogar fora as mágoas, as feridas ou afundá-las,

nos baús tão profundos da vida.

Fortalecer:

os princípios, objetivos, sentidos, o viver.

Acalmar:

A tempestade interna, os ventos que abrem as janelas,

Arrancam e jogam as coisas no chão.

Tornar a ventania, brisa,

Calma, leve, suave, a nos guiar sem entraves, simples,

Como deve ser.

D.Frick

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

A menina acreditava em contos de fada.
Acreditava nas torres, nas tranças da Rapunzel, nos suspiros dos filmes de amor.
Acreditava nos sorrisos, nas pessoas, nos dizeres, nas declarações mesmo que vazias.
Era assim, um depósito de sonhos ambulante.
Sonhava, sonhava...planejava, planejava.
Sua ambição não era material, não se comprava em uma loja, tão menos poderíamos ver em vitrines.
Era sentimento, era forte, era intocável...
A menina cresceu. Os seios cresceram, os pés, os quadris também.
Com ela cresceram os sonhos, amadureceram e tomaram formas diversas.
Contudo, a menina sofreu.
Sofreu a dor, a perda, a decepção, a percepção das coisas no mundo real.
Já não era permitido sonhar. Sonhar custava caro.
Viveu teimando em voar na imaginação, machucava os joelhos a cada tombo e desistiu.
Acabou assim: uma pessoa tão triste, tão desanimada, um girassol murcho, olhando para o chão.
Os dias passaram.
A menina era mulher.
A mulher, era menina.
Seus sonhos permaneceram, ali, deitados no fundo do seu coração.
Os dias passaram rápidos, eles quiseram acordar.
Acordaram então para um novo dia.
A menina despertou, não chorava mais,
Andava a passos lentos, envelhecidos, mas sobretudo, sorria.

sábado, 19 de setembro de 2009

Tendo certeza de algumas coisas na vida:

A avareza é podre,
O ser humano consegue ser também.
O dinheiro muda as pessoas.
Pimenta nos olhos dos outros realmente é refresco.
As pessoas falam o que querem, contudo, não gostam de ouvir as respostas.
O desprezo dói apenas quando você espera realmente algo de quem o despreza, caso contrário, ele passa a ser indolor.
Finalmente a certeza maior: o amor da minha filha e das pessoas que realmente me amam, fazem as certezas acima serem absolutamente abstraídas...

Essa semana constatei também que dar novas chances a pessoas más, não vale definitivamente a pena.
A não ser que, você queira se intoxicar de novo.
É isso.
Semana que vem prometo voltar ao normal.
Ainda estou em processo de desintoxicação. Muita gente desprovida de amor, de carinho, realizações, vida resolvida, enfim...muita gente invejosa tentando entrar no meu caminho...mas minha fé e meu amor à vida, atropelou isso tudo!
Ah, pensando também em mudar minha assinatura...não sei se meu propósito merece um nome que herda tanta coisa ruim...
Mudanças a vista!!!!!!

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Diálogo curto e grosso com tolerância zero, entre um demente e uma pobre mulher (que decidiu não ser workaholic e capacho para chefe abusada, ganhando uma merreca) ficando em casa para estudar:
"- Quer dizer que você agora é uma dona de casa?
- Não querido, virei dondoca mesmo, daquelas que não lavam um copo pra não estragar as unhas."

Ahhhh, por favor"!
Desde quando só se respeita mulheres que trabalham como loucas ou que trabalham fora?
Alguém pode respeitar por favor o fato de que não trabalhar fora, significa algo bem diferente de dona de casa?
Minha paciência acabou e meu respeito acabou também por algumas pessoas que se acham no direito de hostilizar o ser humano que não está trabalhando em empresas importantes, ganhando tubos de dinheiro e gastando tubos também pra mostrar que é fodão.
Quanta gente que eu conheço que vende a alma pra manter um status que é bem diferente da carteira que carrega na bolsa?
Então é isso, liguei o f para o status, liguei o f para os bestinhas de plantão e abri um grande parênteses aqui pra deixar registrado o meu desabafo.
Respeite a vida alheia!
Já é um bom começo.
D. Frick

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Nem tente chegar perto de mim com sua criptonita.
Quero distância da toxicidade das pessoas.
Afastem-se vampiros!
No meu pescoço meu bem, só mesmo afagos e beijos do meu marido...
Portanto, sem possibilidade de sugar minha energia!

sábado, 12 de setembro de 2009

Sem inspiração nesses dias.
Inquieta com a mesquinharia humana.
Chateada com a manipulação alheia.
Irritada com quem não é feliz e tenta destruir a felicidade dos outros.
Vou me recuperar...
vou me recuperar...
D.Frick

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Mosaico Encantado

Quero fazer um mosaico com os cacos que sobraram de mim...
Muitos deles ainda estão espalhados no chão.
A ingratidão bateu forte na minha porta, arrebentando tudo,
Magoando meu coração.
Os abutres riem de mim, debocham, jogam contra.
Não me importo.
Não me importo com os cacos, não me importo com os risos.
O meu desejo e o meu sonho estão vivos dentro de mim e isso é o que importa.
Doeu ver pessoas importantes não acreditando neles, mas e daí?
Quebraram-me, abalaram as estruturas, mas renasço.
Renasço com lindos cacos e ao longo do caminho,
quem sabe não teremos minha história toda contada em mosaicos encantados...

Por você Duduca

Por você Duduca,
Vamos montar um mosaico com os cacos que restaram de mim.
Quem sabe não conseguiremos montar uma linda obra de arte que consiga refletir o amor que eu sinto por você...
Bjos D. Frick

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Fechada para Balanço

fechada para balanço.
talvez balance balance, balance, minha cabeça até conseguir esquecer o que ouvi hoje.
bjos,
D. Frick

sábado, 5 de setembro de 2009

Para Nat

Hoje eu vou dilatar meus poros,


Jogar purpurina nos meus olhos,

Dançar a noite inteira...

Hoje eu vou brindar a vida,

O sucesso, o início de um novo ciclo.

Um brinde a minha irmã querida,

Um brinde ao “Viver a vida!”

Para você Nat.
Te amo.
Tenho verdadeiro orgulho de você.
Bjos,

D. Frick

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Já tinha esquecido a sensação única antes da tempestade ácida.
O tremor, o silêncio eloquente, aquela sensação depressiva.
É quase como um efeito colateral, você se molha e então começa a ficar mal, triste,
com alto grau de toxicidade.
Pensei já ter armaduras para  impedir que as gotas dessa chuva me atingissem. Tenho uma, mas ela  não é tão forte assim...
Talvez seja porque como armadura uso um aço falso...
A armadura tem que estar em mim...não nas ferrugens que encontro nas pessoas...
 É quase que um exercício diário, lembrar que, a proteção para o meu coração tem que partir de um lugar único: o meu interior...

terça-feira, 1 de setembro de 2009

To precisando de um casulo,
onde eu possa ficar, me esconder.
Alguém tem um para me dar?
To precisando de abrigo,
de um colo, de amigos para não me deixar abater.
Minha barriga  tem um enorme buraco,
Alguém tem um cream cracker imaginário,
Assim ela para de doer...